Almoço para debater taxa de iluminação custou 1,1 mil; banquetes na Câmara da Baía da Traição chegam à R$ 4 mil reais

0

Apesar da crise que afeta os municípios, o presidente da Câmara da Baía da Traição não tem poupado recursos para refeições na casa.


Apesar da crise que assola os municípios em todo o Brasil, e que a palavra de ordem na maioria das gestões é a austeridade e o corte de gastos supérfluos, a Câmara de Vereadores de Baía da Traição já gastou de janeiro a julho deste ano, quase R$ 4 mil reais em almoços. Os dados são do Sagres Online, sistema de informações do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba.

Almoço para debater taxa de iluminação em Baía da Traição custou R$ 1.100,00

De acordo com a ferramenta de fiscalização, o presidente da casa, Luiz Sabino (PHS), pagou no dia (31) de março, a bagatela de R$ 1.100,00 (mil e cem reais), num banquete para debater a implantação de imposto para a população, a taxa de iluminação pública.

Sem a devida justificativa constando no Sagres, no dia 2 de fevereiro (em recesso), a casa pagou mais R$ 888,00 (oitocentos e oitenta e oito reais) em refeições para vereadores, funcionários e tesoureiro.

Pagamento do dia 2 de fevereiro. Fonte: Sagres Online

No dia 13 de março, outra refeição no valor de R$ 648,00 (seiscentos e quarenta e oito reais).

Já na volta do recesso parlamentar, no mês de abril, Luiz Sabino pagou mais R$ 360,00 (trezentos e sessenta reais) num almoço no dia 18 de abril.

No dia 8 de maio mais um almoço de R$ 360,00 (trezentos e sessenta reais), no dia 2 de junho, outro pagamento de R$ 336,00 (trezentos e trinta e seis reais), dia 17 de julho mais R$ 128,00 (cento e vinte e oito reais), e no dia 25 de julho um almoço de R$ 190,00 (cento e noventa reais). Totalizando os pagamentos para refeições entre janeiro e julho deste ano a quantia de R$ 3.833,00 (três mil, oitocentos e trinta e três reais e um centavo), mesmo todos os parlamentares residindo no município.

 

Share.