Chega a 21 número de mortos por febre amarela no RJ em 2018

0

Imagem Ilustrativa

O número de mortes por febre amarela neste ano subiu para 21, nesta segunda-feira (5), segundo a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro.

Há um caso novo em Paty do Alferes, um em Cantagalo, uma morte e três casos a mais em Nova Friburgo e mais um morte em Teresópolis. No total, foram registrados 47 casos de febre amarela.

A cidade com maior ocorrência da doença é Valença, no Sul do Estado, com 14 casos e 5 mortes. Além disso, há 5 casos da doença diagnosticados em macacos. Os animais estavam nas cidades de Angra dos Reis, Barra Mansa, Valença e Miguel Pereira.

Casos confirmados e mortes:

– 7 casos – Teresópolis, sendo 4 mortes

– 14 casos – Valença, sendo 5 mortes

– 6 casos – Nova Friburgo, sendo 3 mortes

– 1 caso – Petrópolis

– 1 caso – Miguel Pereira, sendo 1 morte

– 2 casos – Duas Barras

– 2 casos – Rio das Flores, sendo 2 mortes

– 1 caso – Vassouras

– 4 casos – Sumidouro, sendo 1 morte

– 3 casos – Cantagalo, sendo 2 mortes

– 1 caso – Paraíba do Sul, sendo 1 morte

– 2 casos – Carmo, sendo 1 morte

– 1 caso – Maricá

– 1 caso – Angra dos Reis, sendo 1 morte

– 1 caso – Paty do Alferes

Casos confirmados de febre amarela em macacos:

1 – Niterói
1 – Angra dos Reis (Ilha Grande)
1 – Barra Mansa
1 – Valença
1 – Miguel Pereira

MAPA DO G1: SAIBA ONDE TOMAR A VACINA

A Secretaria estadual de Saúde enfatiza que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela. A doença é transmitida através da picada de mosquitos.

Ao contrário de evitar a propagação da febre amarela, matar macacos pode expor mais os seres humanos à doença (Foto: Vigilância Sanitária do RJ)

A Secretaria recomendou a vacinação em postos de saúde para que todos sejam imunizados contra a doença e reforçou que, ao encontrarem macacos mortos ou doentes, que as pessoas informem o mais rápido possível às secretarias de Saúde do município ou do estado.

Fonte: G1

Share.