Por Irinaldo Moreira – O Brasileiro e a Corrupção

0

Nossa República, Constituição e a nossa jovem Democracia está sendo engolida por essa associação de comensalismo. Nosso País, está sendo, devorado  e prejudicado por esse bando de abutres da política brasileira. Corrupção política gente significa, o uso ilegal por partes de governantes, funcionários públicos e agentes privados, do poder político e financeiro de organismos econômicos, ou agências governamentais, com o  único e exclusivo objetivo de inferir renda pública ou privada de maneira criminosa para seu próprio benefício e enriquecimento de si próprio.

Como é possível esquecer nomes como Anthony Garotinho, Jader Barbalho, Nicolau dos Santos – o Lalau, Paulo Maluf e Celso Pitta? Todos fazem parte da história do Brasil como políticos corruptos que desviaram milhões de reais dos cofres públicos. Além disso, o quadro atual mostra que muitos governantes entram na política apenas para beneficiar-se  e não para trabalhar em prol da população. É preciso que a população tenha a consciência de que a corrupção produz pobreza e impede o desenvolvimento do país.

Nós brasileiros na grande maioria infelizmente somos o povo de jeitinho, o povo que quer levar a melhor e se dar bem em tudo, somos o povo da “gambiarra”. Nós somos a nação que elege POLÍTICOS CORRUPTOS. Acredite se quiser, tudo isso que estamos vivenciando é mais uma aberração dos tempos (É o Apocalipse). Homens da lei que cobra propina de traficantes pra “esquecer” certas situações. Políticos, Juízes e Ministros que aceitam propinas para engavetar processos, fazem uso de todos os argumentos para humilhar e torturar cidadãos.Políticos que constroem obras que são elefantes brancos e não servem pra nada. Políticos que aumentam impostos do dia pra noite sem avisar ou consultar o povo. Políticos que usam religiões, religiões que usam políticos. Enfim,todos nós cidadãos somos o motivo do Brasil ser um País de CORRUPTOS e LADRÕES. Precisamos urgentemente povo brasileiro,aprender a negligenciar o nosso voto a essa classe de infortúnios nas próximas eleições.

Mas como não protestar contra esse governo.O Brasil está mergulhado em uma crise política e econômica sem precedentes. Neste momento,pessoas estão morrendo em hospitais por falta de recursos, além disso,profissionais da educação, policiais, servidores públicos, e tantos outros correm o risco de terem seus direitos trabalhistas seqüestrados por uma reforma promovida em razão de um Presidente ilegítimo e impostor. Quando critico o governo é porque ele me incomoda. O problema é que muitas pessoas se calam diante do governo, tem medo de protestar contra o sistema, quando na real deveriam ter vergonha de ficarem em silêncio. Como disse Martin Luther King: (Quem aceita o mal sem protestar, coopera com ele). Além disso, ainda temos que aturar essa justiça às cegas promovendo junto aos órgãos de Imprensa, toda essa barganha fora de cogitação e muito sensacionalismo. Que País é esse?

Na minha opinião estamos sem rumo e verdadeiramente atolados na teia da corrupção política. Cadê a moral da Justiça brasileira para condenar com rigor esses canalhas? O que falta à essa classe política é vergonha na cara, respeito e compromisso com o população. Passamos uma procuração de quatro em quatro anos para esses abutres do dinheiro público legislar e a retribuição deles à nossa classe é bofetada na cara do povo. Não visam a evolução, desenvolvimento, melhoria da educação e saúde; só visam apenas o voto de cabresto…Se analisarmos direitinho, ainda vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e seus MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores).Todos sustentados pelo povo através do pagamento de seus tributos,tendo como único objetivo e finalidade a garantia dos privilégios do poder .

Entretanto, ainda não chegamos ao ponto da maturidade social; na chamada união que faz a força. Ao se tratar de política sempre ficamos na retaguarda, uns porque temem desprender o rabo preso, outros por terem uma aliança ao comodismo ou ainda ao fato de se ter uma profunda lealdade à realidade daqueles que ocupam um cargo idealizado para nós ou para os nossos. Quem sabe na próxima política obteremos uma “boquinha”, corre-se o terrível risco de pensar.

Profº Irinaldo, com Licenciatura Plena em História e Formação em Psicopedagogia

Da Redação/Portal Araçagi

Share.